Redes Sociais

O Twitter morreu? Uma análise dos últimos acontecimentos e de como ele tem perdido espaço pro Facebook e G+

Gostou? Faça mais pessoas felizes, compartilhe!

Analisamos como, por que e para quem o Twitter vem perdendo espaço. E respondemos a pergunta que não quer calar: o twitter morreu?

O título do artigo pode soar clichê ou sensacionalista, mas é um assunto recorrente entre os que utilizam as redes sociais para interagir com seu público ou mesmo divulgar seus sites e blogs. Quem acompanha os relatórios diariamente, tem notado já há algum tempo que as visitas vindas do Twitter tem diminuído cada vez mais. Mas por que isso vem ocorrendo? Estaria o Twitter realmente perdendo público para outras redes? Bom, vamos conversar um pouquinho sobre isso no decorrer do artigo.

twitter morreu

Será que o twitter morreu mesmo?

Um recente estudo do site Hubspot, aponta que embora o Twitter tenha hoje 100 milhões de usuários ativos, a taxa de utilização da rede social, segue em declínio. Nesse mesmo estudo, foi feita uma pesquisa nos EUA, onde 66% dos americanos afirmam utilizar redes sociais, como Facebook, Twitter ou Linkedin. Porém, dentro desse universo apenas 15% utilizam o Twitter. Os sinais são claros: o Twitter está sim, caminhando para a morte ou pelo menos se mostrando não tão saudável e sustentável como pensavam analistas de mídias 2 anos atras.

Sim, o Twitter está morrendo.

Ainda falando do estudo apontado acima, estima-se que 25% dos usuários no Twitter, não tem nenhum follower. Ou seja, 25% dos usuários que estão lá não existem e pior, a mesma pesquisa diz que 40% dos usuários do twitter nunca twittaram nada. Tudo bem, toda rede possui perfis falsos, isso não é necessariamente um indicativo de que está ocorrendo algo errado. Na verdade, o dado que indica essa queda é outro. É que segundo uma pesquisa da comScore , a audiência do Twitter no Brasil caiu 24% durante o último ano, nos EUA. E no Brasil não tem sido diferente.

Por que o Twitter perdeu mercado?

Existem vários fatores que podem ajudar a explicar essa questão, listados abaixo:

Limitações da plataforma – a limitação dos 140 caracteres na plataforma, ainda restringe muito os usuários, tanto no sentido da interação quanto do ponto de vista de compartilhamentos e aplicativos. O usuário jovem então cada vez mais migra para plataformas como o Pinterest, Instagram e outras, fato que o próprio Facebook já admitiu. Ë possível acompanhar essa migração infográfico abaixo:


facebook cansaço

Os jovens e suas tendências

Facebook – sim, uma vez que o Facebook se popularizou, as pessoas obviamente frequentarão os locais com mais gente. Durante o último ano, o Facebook cresceu 64% no Brasil e alcançou 42,4 milhões de usuários no país, ainda segundo dados da comScore. Outro fator, é que inicialmente por ser apenas texto, o Twitter fazia muito sucesso nos celulares e dispoitivos móveis.Porém, com os updates que o facebook fez em seus aplicativos, somado aos avanços tecnológicos no Brasil, possibilitaram que conteúdos como fotos e vídeos pudessem ser compartilhados quase que instantaneamente via Facebook/smartphones. O que acabou deixando o Twitter meio “defasado”nesse sentido. Além disso, como os programadores do facebook facilitam a vida dos desenvolvedores com suas API’s: o botão curtir está em toda parte, simples e fácil. E além disso, hoje o facebook consegue fazer a maioria das funções do Twitter.

Google Plus – embora o crescimento do Google Plus ainda seja pequeno, ele já é sentido nos EUA (que normalmente ditam as tendências) e começa a ser notado no Brasil Claro, ele ainda está a milhas de distância do facebook, mas tem roubado uma fatia cada vez maior dos usuários de redes sociais.Vejam o infográfico abaixo:

crescimento gplus

Sim, não parece mas o G plus está crescendo

Excesso de Spam – a incapacidade do Twitter de coibir o spam , seja manual ou automático, acaba afastando cada vez mais os usuários.

Conteúdo – Estima-se que 0.05% dos usuários, produzem 50% do conteúdo real do Twitter. O restante são usuários conversando entre si e pessoas postando links e spams. Isso acaba tornando a rede supérflua e desinteressante para a maioria dos usuários. Além disso, o formato de microblog, mostrou-se pouco viável no final das contas. As pessoas literalmente perderam o interesse.

 Conclusão

Bom, a intenção do artigo não e convencer ninguém a encerrar seus perfis no Twitter, mas para quem aposta todas suas fichas nessa rede social, pode ser interessante buscar outros caminhos, se você as utiliza para divulgar seus sites, ou pelo menos interagir com seus leitores. Eu particularmente continuo postando e falando com as pessoas por lá. Inclusive quem quiser nos seguir , pode clicar aqui.

E você caro leitor(a) ? Continua utilizando o Twitter do mesmo modo que utilizava há 1 ano? Concorda em dizer que o Twitter morreu ?

Referências: Hubspot , Revista veja , Elite MomBusiness Grow e Uol

 


Seja um leitor Premium, receba os artigos direto no email:



Gostou? Faça mais pessoas felizes, compartilhe!
admin
Almy Fróes é Analista de TI, problogger e compartilha no Mestre dos Sites o que aprendeu sobre WordPress, blogs, SEO e otimização de sites
Mais alguns posts interessantes:
Facebook quer punir os chatos! Entenda o que acontece com pessoas e fanpages
Facebook restringe ainda mais o alcance das Fanpages!
redes sociais
Redes sociais: entenda por que comprar seguidores é jogar dinheiro no lixo!
7 Comments
  • 3 03America/Sao_Paulo março 03America/Sao_Paulo 2014 at 11:25
    Resposta

    […] Porém tudo isso vai muito além da diversão. Aqui percebemos como o Twitter, em tempos de Instagram e WhatsApp, ainda é uma ferramenta muitíssimo poderosa quando falamos da rápida viralização de conteúdo. Já falei aqui sobre o poder do canal quando dos protestos pelo mundo, em especial na Venezuela. […]

  • Maricélia
    1 01America/Sao_Paulo setembro 01America/Sao_Paulo 2013 at 14:01
    Resposta

    Já vai tarde, nunca suportei o twitter.

  • 14 14America/Sao_Paulo julho 14America/Sao_Paulo 2013 at 22:59
    Resposta

    Olá! Logo que o twitter se popularizou por aqui, li em algum blog um sujeito referindo-se ao twitter como algo “imbecil”, com o que concordei. Depois entendi melhor o funcionamento e até me soou interessante e tentei usar por algum tempo, mas depois, parei em definitivo. Porque no fundo é uma rede nosense mesmo: Complexa demais para o usuário comum, limitadora demais para os prolixos (eu perdia minutos e minutos tentando condensar um pensamento em 140 caracteres, para ser lido por pouca gente, e para ganhar absolutamente nada em troca) e no fundo, sem uma utilidade muito construtiva, como são a maioria das redes sociais, que servem sobretudo para entretenimento. Justamente por isso também tenho evitado de usar o Facebook, porque enquanto estou ali navegando na timeline, estou deixando de trabalhar e produzir para mim para produzir conteúdo pro Zuckerberg… E percebo que o uso do FB também vem se reduzindo entre os contatos que tenho lá, as atualizações já foram mais frequentes. Enfim, acho que ainda estamos numa fase de “testes” de redes sociais e que ainda vai levar alguns anos até uma “estabilização” e definição mais precisa do que “funciona” e do que é insustentável. Legal sua análise. Um abraço 🙂

  • Andrea Alves
    19 19America/Sao_Paulo junho 19America/Sao_Paulo 2013 at 00:23
    Resposta

    Adoro o Sugarsync, pra mim é o melhor desses!

  • 17 17America/Sao_Paulo junho 17America/Sao_Paulo 2013 at 22:30
    Resposta

    Agradeço as informações, especialmente sobre a utilização das nuvens.

    Bjs

  • 16 16America/Sao_Paulo junho 16America/Sao_Paulo 2013 at 23:44
    Resposta

    Oi,
    Tenho o guerreiro SEO, é bastante bom embora já esteja meio desatualizado em algumas coisas. Entretanto quero comprar A Arte do SEO, já muitas pessoas me recomendaram esse

  • Ruben
    16 16America/Sao_Paulo junho 16America/Sao_Paulo 2013 at 02:10
    Resposta

    Acho que já era a vez do Twitter, as visitas para o meu blog vindas do twitter são praticamente nulas, no entanto, o Facebook tem crescido potencialmente.

Deixe seu comentário

Your Comment*

Your Name*
Your Webpage